Solidariedade: Empresa Ambev vai produzir meio milhão de unidades de álcool gel para distribuir para hospitais públicos

Ambev vai produzir meio milhão de unidades de álcool gel para distribuir para hospitais públicos. Em nota hoje em suas redes sociais: Pra gente da Ambev, ir além dos rótulos também é cuidar uns dos outros. Por isso, vamos transformar o álcool de nossas cervejarias em álcool em gel envasado em nossas próprias embalagens. A produção de meio milhão de unidades será toda doada para hospitais públicos das cidades mais atingidas pelo COVID-19, para que não falte a ninguém. Esta foi uma das formas que encontramos de ajudar neste momento onde toda solidariedade faz diferença.

A companhia vai utilizar a linha da cervejaria em Piraí, no Rio de Janeiro, para produzir etanol e 500 mil embalagens. “Considerando que uma das restrições para a reposição do produto no mercado é a embalagem para envase, a Ambev disponibilizará o álcool em gel em garrafas PET como as utilizadas para suas bebidas, que hoje não estão em falta”, explica

Iniciativas como esta nos enche de esperança que ainda existe empresas que estão preocupadas com o ser humano, mesmo num momento de crise. Parabéns por pensarem na vida das pessoas e fazerem a diferença para elas neste momento crucial na saúde.

Por Sandra Rosa

O perigo da fabricação e uso de álcool gel caseiro

Com a grande procura por álcool gel e a falta desses produtos nos mercados e farmácias, uma enxurrada de receitas caseiras de como fabricar álcool gel estão circulando na internet.

Algumas receitas sugerem o uso do álcool líquido concentrado com gelatina incolor, gel de cabelo, amido de milho ou outras substâncias.

O uso do álcool líquido concentrado pode causas riscos de acidentes, incêndios, queimaduras de grau elevado e irritação da pele e mucosas.

As receitas caseiras não garantem a produção de álcool com a concentração adequada para a correta desinfecção da mão e isto é um grande perigo, pois pode levar as pessoas a confiarem em algo que não possui eficácia.

Dependendo dos produtos utilizados na fabricação do álcool gel caseiro ao invés de eliminar o vírus pode potencializar sua proliferação e infecção. Além das substâncias poderem causar irritação na pele. 

É importante esclarecer que o álcool gel vendido em farmácias são fabricados com substâncias que garantem a estabilidade e concentração adequada para matar o vírus.

Para se prevenir do coronavírus uma solução bastante eficaz é lavar as mãos com água e sabão. O vírus é extremamente sensível ao sabão e é uma forma eficaz de matar o vírus.

Texto por Fábio Reis para PFARMA

É #FAKE que fazer gargarejo com água morna, sal e vinagre elimina o coronavírus

A Organização Mundial dma Saúde (OMS), o Ministério da Saúde, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e especialistas refutam o texto.

A mensagem falsa diz ainda que o coronavírus permanece na garganta quatro dias antes de chegar aos pulmões.

“A infecção pelo coronavírus pode dar tosse seca, dor de garganta, mas não é possível dizer que essa tosse seca seja porque o vírus está na garganta e demora tantos dias para chegar no pulmão. Isso faz parte do quadro clínico da infecção e o tempo para o vírus chegar depende de cada pessoa. Não existe um tempo certo. O gargarejo pode ser bom para ajudar no alívio da tosse, mas dizer que água morna, sal e vinagre elimina o vírus é uma grande bobagem”, afirma Leonardo Weissmann, médico infectologista e consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia.

A Fiocruz também diz que é falso que “gargarejar com água morna ou salgada mata os vírus que se alojam nas amígdalas e evita que passem para os pulmões”.

A OMS também diz que a mensagem não faz sentido. E reforça ainda que soluções salinas usadas na lavagem do nariz não ajudam a prevenir a doença. “Há evidências limitadas de que lavar o nariz regularmente com solução salina pode ajudar as pessoas a se recuperar mais rapidamente de resfriados comuns. Entretanto, enxaguar regularmente o nariz não tem demonstrado prevenir infecções respiratórias.”

ALEMANHA CONFIRMA CASO DE GRIPE AVIÁRIA H5N8 EM CRIAÇÃO DE FRANGOS

Uma caso de gripe aviária foi confirmado em uma fazenda de criação de frangos na Saxônia, no leste da Alemanha, disseram autoridades alemãs nesta segunda-feira.

Foto: Pixabay

O ministério de assuntos sociais e proteção no Estado da Saxônia disse que o caso envolve gripe aviária do tipo H5N8 e foi encontrado em uma fazenda em Bad Lausick, perto de Leipzig. Todas aves na unidade foram sacrificadas e uma área de quarentena estabelecida ao redor.

Uma série de casos da doença, que no passado levou a grandes impactos sobre a indústria de aves europeia e a programas de sacrifício em massa, têm sido registrados pela Europa nos últimos meses.

Casos de gripe aviária foram registrados desde o final do ano passado em quatro países da Europa Central — Eslováquia, Polônia, Hungria e República Checa. Um caso anterior havia sido registrado em uma ave selvagem na Alemanha, em janeiro.

Via: Revista Exame

Brasil Tenso: Centenas de detentos fogem de presídio em Mongaguá, SP;

Cerca de 400 detentos fugiram no início da noite desta segunda-feira (16) do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) Dr Rubens Aleixo Sendin, localizado em Mongaguá, no litoral de São Paulo. Em um vídeo obtido pelo G1 é possível ver centenas de presos correndo. Ainda há reféns no local.

O CPP é de regime semiaberto e abriga cerca de 2.800 detentos. Ainda não há informações de como os presos conseguiram escapar mas, segundo apurado pelo G1, eles teriam se rebelado após o cancelamento de uma saidinha que aconteceria na terça-feira (17).

Em nota, a Secretaria de Administração Penitenciária (SP), confirmou ao G1 que foram registradas evasões de reeducandos do Centro de Progressão Penitenciária de Mongaguá. Segundo a pasta, as unidades de regime semiaberto, por determinação da legislação brasileira, não possuem vigilância armada e as devidas providências para sanar o problema estão sendo tomadas.

Fonte G1

Governo do RS suspende aulas da rede estadual a partir desta quinta devido ao coronavírus

Governador Eduardo Leite durante transmissão ao vivo nas redes sociais.

As aulas da rede estadual de ensino do Rio Grande do Sul serão suspensas a partir de quinta-feira (19) devido a pandemia do Covid-19. O anúncio foi feito pelo governador Eduardo Leite durante transmissão ao vivo pelas redes sociais, na manhã desta segunda (16).n

O decreto com as informações sobre a suspensão das aulas deve ser publicado até esta terça (17). Nos próximos dias equipes da Secretaria de Educação vão orientar as escolas.

“Não há motivo para pânico. Todas essas políticas estão sendo estabelecidas para que possamos retardar ao avanço da disseminação do vírus. Não há expectativa de que não seja disseminado, mas que seja disseminado no limite da capacidade da nossa infraestrutura de saúde para os casos mais graves.”

Eventos públicos do governo também foram suspensos, e não são recomendadas atividades com mais de 100 pessoas. O governador comunicou que a medida ainda é uma recomendação, mas pode ser determinação ao longo do tempo.

Fonte G1

Padre celebrou missa de domingo com fotografias dos paroquianos

Os bancos estavam cheios, este domingo. Havia famílias, como sempre. Também muitos idosos, sós ou em casal. Há uma criança que mostra o seu desenho do arco-íris, a dizer, confiante, #tudoficarabem. A igreja estava animada, mas silenciosa. Um silêncio irreal.

Sim, porque o P. Giuseppe, pároco de Robbiano, em Itália, viu os seus fiéis, mas não os podia ouvir. Celebrou em comunhão com eles, os rostos sorridentes e participantes, mas os paroquianos, naquele momento, estavam cada um em sua casa, a assistir à missa diante da televisão ou pela internet.

Nos dias anteriores, o pároco enviou uma mensagem aos paroquianos: «Estar no altar e ver os bancos completamente vazios dá-me uma tristeza que choca com o sacrifício divino que estou a celebrar, com a esperança que estou a anunciar, com a alegria da Páscoa de que estou à espera. Estou convicto de que estamos em comunhão de fé, mas os olhos veem o vazio.»

«Gostaria de fazer-vos uma proposta», prosseguia o convite: «Enviem-me uma fotografia vossa, quer pessoal quer de família, a foto do vosso rosto, preciso de ver rostos à minha frente quando celebrar a missa no próximo domingo. Imprimirei a fotografia que me enviarem, e prendê-la-ei com fita adesiva ao banco: é uma maneira de me fazer sentir menos só.»

No texto não faltou o bom humor: «Obviamente, colocarei as crianças nos bancos da frente, os acólitos no altar, e todos os adultos nos seus lugares. Manterei a distância de um metro entre uma foto e outra, para não transgredir as normas atuais». Não faltou a fotografia do organista, devidamente colocada no banco do instrumento.

E assim, não só os fiéis o viram, em direto, pela internet, mas também ele os viu, depois de terem respondido, numerosamente, ao apelo feito por ele, concretizando um sinal concreto de proximidade, em tempos de isolamento por causa da pandemia.

Um pequeno gesto que se tornou numa ação comunitária. Só assim, com gestos individuais que se tornam coletivos, podemos pensar ultrapassar as dificuldades do tempo que começámos agora a viver.

Lugar de criança é brincando na natureza

Movimento se propõe a trazer espaços verdes para os cenários urbanos

FLORIANÓPOLIS – “Como assim tem gente que nunca fez trilha na vida? Eu faço desde que era um bebê”, indigna-se Tatá, com a autoconfiança e autoridade que seus seis anos de vida lhe conferem. Filho de um casal que sempre se enfiou no mato, o pequeno Tales não exagera. Ele literalmente fazia trilhas desde que era bebê – na verdade antes até: quando estava na barriga da mãe, a educadora Lesly Monrat.

Mãe se diverte com crianças em balanço montado no meio de jardim Foto: Giovana Girardi/Estadão

Esperança, de 8 anos, não deixa por menos. Compenetrada contando os 11 girinos que coletara em um laguinho, diz já ter um plano para eles. “Vou levar para casa, colocar numa bacia bem grande e esperar virarem sapinhos.” E você já teve sapo em casa? “Tive, mas depois eu devolvi para a natureza porque ele estava sentindo saudade da família.”

Um pouco mais tímida, Rafaela, de 6 anos, observa os girinos ainda no lago. É sua primeira experiência com eles, mas já sabe – a Peppa Pig contou –, que um dia vão se transformar em sapos. Com um copo pega alguns, despeja na mão da mãe, se aproxima, mas não os toca. A mãe, Daniele Indati Rodrigues, a incentiva: “põe agora na sua mão”, mas a menina nega, chacoalhando a cabeça, rindo. Uma hora depois, vem correndo contar: “Tia, coloquei o girino na minha mão! Olha só quantos eu peguei!”. E volta a brincar.

Esperança (à dir.) e amiga caçam girinos Foto: Giovana Girardi/Estadão

a educadora norte-americana Cheryl Charles, fundadora da Children & Nature Network, rede que coordena iniciativas internacionais com essa proposta. No Brasil, o esforço é capitaneado pelo programa Criança e Natureza, do Instituto Alana.

“Por que precisamos de movimento para conectar crianças com a natureza, quando é uma coisa tão senso comum, considerando a forma como os seres humanos evoluímos?”, questionou Cheryl, abrindo sua apresentação, para na sequência responder: “Mas virou uma coisa sobre a qual as pessoas pararam de pensar a partir do momento em que se achou que era mais seguro manter as crianças dentro de casa, com eletrônicos.”

Cidades mais verdes

Com isso, afirma, há um “transtorno de déficit de natureza” – expressão cunhada por seu colega de fundação da rede Richard Louv, autor do livro A última criança na natureza. E a melhor forma para contornar isso, propõe, é trazer a natureza para as cidades.

A ideia é que não é preciso ir até um parque nacional, uma floresta, para retomar esse contato com áreas verdes, mas optar pelo perto, pelo simples. Uma instalação similiar ao Jardim das Brincadeiras, por exemlo, foi feita por Blauth no Sesc Interlagos, na zona sul de São Paulo. A ideia é incrementar espaços, seja com plantios ou com brinquedos, ou mesmo aproveitar o verde que já existe nas cidades.

É no que pensou Lesly Monrat ao organizar um projeto de trilhas com crianças em Florianópolis. “É para lazer em família. Não tem nada de educação ambiental ou algo conduzido. É a criança livre, no seu ritmo, para explorar e descobrir suas potencialidades físicas e emocionais.”

Ela conta que sempre recebe famílias que nunca tiveram o menor contato com a natureza. Daí a surpresa de Tatá. “Os pais num primeiro ficam receosos de deixar os filhos soltos, por mão na água, subir em árvore. Mas na hora que confiam, é mágico. E muito natural para os pequenos. Eles vão conhecendo a potência interna que eles têm, mas que a gente enfraqueceu com a vida urbana.”

O Jardim das Brincadeiras, apesar de um pouco mais longe da cidade, tem a mesma premissa. Os pais são convidados a ir com os filhos, para também aumentar a conexão familiar, mas a ideia é que eles só fiquem de olho, observando, e deixem a criançada se soltar. E nisso vão vendo verdadeiras mudanças no comportamento da molecada, que desenvolve o físico, o cognitivo, o emocional, o social. Fora uma própria relação diferente com o próprio planeta.

É o caso de Rafaela, que, além de ser bastante tímida, tinha o corpo meio molinho e estava sofrendo de perda auditiva quando a família morava em uma região bastante urbana de Porto Alegre. “Lá a gente não tinha muito contato com a natureza. Viemos para Floripa pra dar isso pra Rafa, para ela ter espaço para ser criança, brincar, e vimos o quanto ela se desenvolveu, ficou mais forte, solta”, conta a mãe, Daniele Indati Rodrigues.

Hoje ela se joga, sobe em árvores, em dunas, está com o corpo bem mais firme. E a audição melhorou.

* A repórter viajou a convite da Fundação Boticário

Amor de Mãe: Globo cancela gravações e decide retirar novela do ar por tempo indeterminado

A Globo cancelou todas as gravações de “Amor de mãe” previstas para a semana que vem por causa do coronavírus. O elenco está sendo avisado hoje. Segundo fontes da novela, a trama tem frente de capítulos.

Globo confirma a informação que a coluna apurou e reforça que está “acompanhando todos os desdobramentos e impactos do avanço do COVID-19 com responsabilidade, e adotando as medidas de prevenção necessárias, alinhadas às recomendações das autoridades de saúde pública. Nossa prioridade é garantir a segurança e o bem estar de todos”.

É um fato sem precedentes nas novelas.

Mais cedo, a emissora já tinha confimado alterações em sua programação por causa da pandemia. A partir desta segunda, 16, o “Mais você“, de Ana Maria Braga,  será suspenso. Os jornais locais da manhã, como o “Bom dia” RJ e SP, terão meia hora a mais. O “Bom dia Brasil” terá duas horas de duração, das 8h30m äs 10h30m. Já o “Jornal hoje” será estendido, ocupando parcialmente a faixa do “Se joga”. Ao longo do dia, a emissora mostrará todas as atualizações do assunto através de flashes ao vivo.

Fonte G1

URGENTE – Ônibus cai em ribanceira em gravíssimo acidente em Santa Catarina

A informação inicial repassada dos Bombeiros Voluntários de Corupá para o Corpo de Bombeiros Militar de São Bento do Sul é que 26 pessoas estavam presas nas ferragens e que algumas delas caíram fora do veículo, enquanto o ônibus descia a ribanceira.


Ainda não há confirmação de mortes ou de número exato de feridos. O trecho entre as duas cidades está bloqueado e sem previsão de liberação pela Polícia Rodoviária Federal.

Fonte Destino SC