Em destaque

“Cavaleiro da Esperança” cultivando a tradição gaúcha percorre o Brasil todo a cavalo,em prol de ajudar pessoas doentes.

O gaúcho Gilberto Utzig, 58 anos, “Cavaleiro da esperança” que por onde passa mostra uma verdadeira lição de vida é de amor ao próximo. Através da tradição gaucha ele faz a diferença na vida de muitas pessoas doentes . Em passagem por São Joaquim na Serra Catarinense, no parque da maçã, o Zootecnista que se dedica a ajudar as pessoas em especial crianças que precisam de tratamento com custo elevado, ele atravessa o Brasil todo pedindo doações para pessoas doentes e agora está pedindo “CORRENTE DO BEM”, na campanha em busca de doações para a pequena “LÍVIA TELES”. A qual têm AME tipo 1 e precisa de 9 milhões para a cirurgia de cura dela. O cavalheiro já conseguiu 4 milhões é disse que não vai descansar enquanto não arrecadar os 9 milhões para a menina Lívia. (Esse é o meu trabalho enquanto Deus me der vida…ajudar…ajudar…sem nada querer em troca…apenas ajudar !!!… Seja você também um Cavaleiro da Esperança !!! O mundo precisa de Nós !!!… “Se fizermos o bem juntos, nós podemos até mudar o mundo !!!...”( Gilberto Utzig). A solidariedade de pessoas que Gilberto encontra no caminho o ajuda nesta linda missão de vida.

Depoimento de Gilberto Utzig em sua passagem por São Joaquim na Serra Catarinense concedida ao Jornalista do São Joaquim on Line:

  • Soube que o hospital de são luis Gonzaga iria fechar as portas em julho de 2016 e aí como não havia uma iniciativa mais forte da comunidade do poder estadual e federal para impedir o fechamento do hospital eu resolvi então montar a cavalo e ir até Brasília para chamar atenção da saúde pública no país e para tentar conseguir recurso para o hospital de uma importância vital para nossa região e aí fui nessa invernada sem patrocínio sem apoio na estrada, sem custo hospital 103 dias e a cavalo até chegar em Brasília eu ia pedindo apoio ia pedindo pouso na estrada me negavam pouso então eu muitas vezes dormia ao relento, jamais vou para hotéis, minha comida, pão salame e rapadura o que eu carrego na mala e assim eu fui atravessar 7 estados e eu tiver felicidade que a globo ficou sabendo história me encontro fez uma reportagem aquilo foi o grande diferencial portal aquela reportagem lá no jornal do almoço do Rio grande no jornal nacional da globo, no portal do globo news internacional isso fez com que as minhas redes sociais tivessem um momento muito grande de pessoas o demais de 20000 e amigos e seguidores em todas minhas vendas sociais e e então 103 dias pra mim chegar em Brasília e onde eu passava no os 7 estados e devido a globo e a mídia vinham a meu encontro para falar nos estado queriam saber minha história o que que essa pessoa ta fazendo que saiu para tentar ajuda aos doentes. Toda semana no jornal nacional no fantástico e e aquilo lá foi parar no 7 de E me caetano Braum lá pode me ceder um cantinho dormindo lá e de 2ª a 6ª eu ia conduz animais andava com dois via pra frente do congresso amarrar la na frente das bandeiras no gramado a fundação tem a bandeira das bandeiras dos estados e lá então eu ir em busca de recurso hospital e também em busca de subsídios de reconhecimento para me entender como é que funcionava a saúde pública no país por que tantos problemas na saúde pública quando os motivos me levaram então a muito trabalho fiz durante 36 dias lá lá em Brasília ta e em prol do hospital depois e voltei de Brasília e aí que houve mudança na minha vida na verdade eu sempre pensava que eu voltaria e se queria é o meu trabalho trabalho e eu isso foi pessoas começaram a me pedia me chamar para dar palestras eu já dei mais de 131 palestras então do Brasil todas gratuitas grandes redes de lojas bancos cooperativos prefeituras e principalmente escolas e também as pessoas começar um tipo de ajuda caso pessoas que tem cirurgia às vezes mais a maioria dessas pessoas quando vai eu aviso na casa de que venha a óbito pois precisam de remédio caro pra tomar e pagar pessoa tem que entrar na justiça demora e compromete as chance de cura da pessoa e eu venho a cavalo mandando passando por todos os estados e tendo um com uma relação muito estreita com as pessoas é diferente to a andar a cavalo do que andando de carro de ou de avião enfim, é hoje eu conheço muitas pessoas muitas histórias. E vou conhecer a família vou ver se realmente necessita de ajuda essa história verdadeira e sendo assim, então eu faço um vídeos faço pessoas depositar na contas bancárias a vaquinha ta muito então vídeo que eu fiz na minha página e saio em busca de doações. Nas campanhas eu jamais ganho um centavo nunca recebi nenhum p mim dessas doações tem que se feitas é diretamente na conta daquela pessoa que eu to buscando recursos já teve caso de palestra de juntar 2 3000 e 10 demais reais as pessoas fazia vaquinha e querem dar pra mim ajudar campanha eu to defendendo e eu agradeço peço desculpas na verdade não é soberba mas as pessoas tem que depositar nas contas que eu falo que aparece no vídeo que eu gravo as pessoas falando mais sobre seu problemas depositam eu não recebo nunca recebi nunca vou receber isso dá me um fator de crédito que eu tenho transparência que eu tenho nas minhas campanhas pessoa sabe que quero dinheiro realmente que eu to pedindo ele vai das contas das pessoas um dos motivo é que eu nunca fui em busca de muito de poucos eu sempre vou em busca de um pouquinho de muitos e já ajudei muitos. campanha e qual o que é o que essa é campanha pedindo ajuda em setembro de de 2019 eu fui para Montenegro na parte da manha e a outra no Sicredi lá em Montenegro fiquei conhecendo história da lívia Telles conheci a história não conhecia ainda e me falaram que eu era pessoa para abraçar sua campanha ela ela foi diagnosticada com a AME 1 aos 4 meses já tava 5 meses em campanha . Andei d mais de 50 cidades nesse período sair no dia 5 de setembro andando pelo Rio Grande do Sul entre Por Chapecó em Santa Catarina 10 de 5 de setembro e nós já batemos já passamos de 4000000 de reais de arrecadação e eu tenho comigo assim uma coisa muito presente de certeza que até fim de mês de junho a gente vai conseguir os 9000000 que a lívia precisa os EUA único país do mundo que tem a cura da Anne é uma vacina e os custos com a ida da família lá no local procedimentos que tem que fazer então de 20 a 30 dias lá se faz um preparo recebe a vacina e depois fica observação alguns dias de volta curado de las custa 9000000 de reais o governo Brasileira não pague esse tratamento, então só resta gente ir atrás e lutar para buscar e aí se o meu trabalho que eu faço em busca e para as pessoas buscando ações doações eu que me disponho durante dias p e tenho encontrado muita reciprocidade e Santa Catarina sempre a está comigo em todas campanhas sempre bem recebido estou em São Joaquim desde sexta feir trabalhando em Prol da Lívia amanhã eu devo seguir viagem em direção a Bom Jardim da Serra é isso aí vou descer serra do Rio do Rastro e na semana que vem eu começo trabalhar lá no no litoral no Vale.

Conheça mais sobre o Cavaleiro DA Esperança, Facebook lá você encontra videos de suas andanças em prol de ajudar a menina Livia.


Em destaque

Época da Colheita de uva e maçã em São Joaquim, um verdadeiro encanto!

Neste época do ano todos os caminhos levam a São Joaquim a gélida cidade da serra catarinense que encanta pela diversidade de cultivo das frutas que são cultivada em larga escala, graças à altitude. O tempo de colheita da uva e da maça, o mês de março marca o resultado de muitos meses de trabalho nos vinhedos da Serra Catarinense e nos pomares de macieira.  

Além de que o setor nesta época do ano aumenta consideravelmente a oferta de trabalho no município, e com isto contribui com a renda familiar de muitas famílias.

E o turismo também tem um aumento significativo durante o periodo da colheita, pois  a Serra de Santa Catarinense, onde se produzem os vinhos finos de altitude, sendo que a maior concentração de vinícolas é em São Joaquim. E muitos dos turistas que visitam as vinícolas, acabam também por se deliciar nos pomares de maça também e vivem a experiencia de saborear a maça diretamente colhida da macieira.

A vindima é a colheita da uva na regiões vinífera de São Joaquim, simboliza também o período entre a colheita e o início da produção do vinho, e para quem aprecia um bom vinho, deve visitar a Serra de Santa Catarina durante o mês de março, onde se produzem os vinhos finos de altitude, sendo que a maior concentração de vinícolas é em São Joaquim. Além de ser um passeio onde o turista encontra belas paisagens naturais, o vinho de altitude é único e premiadíssimo, caracterizado principalmente pelo diferencial do terroir e da temperatura que inclusive conforme o registro no dia de hoje, do jornalista Mycchel Legnaghi , no vale do Postinho, localizado a cerca de 7 km do centro de São Joaquim obteve o registro de geada durante o gélido amanhecer de 06 de março de 2020, em pleno verão de março, a pastagem no vale foi recoberta com um fina camada de gelo vislumbrando a vista, uma típica paisagem de inverno nos campos de cima da serra, ou seja para os apaixonados por frio mais um diferencial em visitar São Joaquim e também considerando que aquele friosinho da noite tem ares romântico e combina com um bom vinho fino de altitude das vinícolas de São Joaquim.

Para celebrar, na cidade de São Joaquim é realizado o evento próximo a praça central, além da programação de cada vinícola. Se programe e visite São Joaquim e encante-se!

Por Sandra Rosa

Em destaque

Vindima de Altitude: Vinícola d’alture com programação especial em homenagem as mulheres

A vindima é o momento mais esperado do ano não apenas para os produtores, mas também para os apaixonados por vinho! E a cada ano que passa, a Vinícola boutique d’alture com programações turísticas especiais para celebrar este período, que vão de colheita, degustação, piquinic, sunsets e almoços harmonizados com rótulos da vinícola mais premiada, além de uma vista panorâmica sensacional.

E Ao longo do mês de Março junto a Vindima a Vinícola d’alture preparou uma programação especial em homenagem a todas as mulheres.

Tributo às mulheres com arte, musica e degustações de cortesia do novo lançamento, espumante Rosê! Com um requinte formidável em suas estruturas para melhor atender aos clientes e aos amantes dos Vinhos Finos de Altitude.

Os sunsets proporcionados pela vinícola, estão entre os mais destacados na Serra Catarinense, o que rende belas e surpreendentes imagens, aliadas ao bom gosto da altitude em São Joaquim. É uma experiência única seja para casais, amigas, famílias é diversão garantida.

Reservas podem ser feitas também pelo whats (49) 99170800

Em destaque

Celebrando a colheita na vinícola d’alture na Serra Catarinense

Na foto Roberto Chaves proprietário da Vinícola D’Alture

 “As nossas Uvas… realmente acredito nas suas cores, aromas e texturas capazes de expressar o potencial, a qualidade e o sabor dos nossos vinhos e espumantes.
Produtos elaborados em uma vinícola sonhada e projetada para apresentar um pouco da Toscana no Brasil, em perfeita harmonia com a natureza” Don Roberto Chavez
A nossa história tem origens na Espanha, mais precisamente na região do Penedés, Catalunha, considerada uma das mais antigas regiões vinícolas da Espanha.
A família Chavez vem cultivando uvas e produzindo vinhos há mais de um século, quando iniciou sua trajetória no Vale de Tarija, localizado no sul da Bolívia, à 2000 metros de altitude. Estes vales são conhecidos por serem os vinhedos mais altos do mundo, e mais antigos das Américas.
Em 2008, à procura de novas oportunidades, buscando manter às tradições familiares, Roberto Chavez vem ao Brasil afim de estabelecer-se na Serra Catarinense, local onde adquire as terras onde hoje se encontram os vinhedos D’alture, propriedade esta, que possui condições muito semelhantes aos cultivos da Bolívia, onde a história vinicultora da família teve seu início. 

Por Isabel Chavez

Coronavírus: ministro da Saúde diz que agro está segurando economia

Durante coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira, 25, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ressaltou que o Brasil não pode parar e por isso a importância dos serviços essenciais. Mandetta diz que é difícil neste momento determinar o que é fundamental e usou como exemplo o chaveiro, que para quem perdeu a chave de casa, passa a ser um serviço mais que primordial.

O ministro destacou também a importância do agronegócio nesta crise. “Sem alimento, não adianta a gente fazer luta. Quem está segurando a economia desse país é o agro”, afirmou.

Mandetta falou ainda que, neste sentido, o pronunciamento do presidente da república, Jair Bolsonaro, chamou atenção para a colaboração de todos neste momento. “É preciso avaliar a situação, porque se não consigo chegar a vacina porque não tem mais o avião. Não consigo produzir o ventilador porque o funcionário não chega na firma de ventilador. Isso causa uma série de transtornos para o próprio sistema de saúde, que é a única razão das nossas medidas aqui. Nós não vamos mudar um milímetro do nosso foco, que é a vida”.

“Antes de adotar o fecha tudo, existe a possibilidade de trabalhar por bairro. Fazer a redução de mobilidade urbana em determinados aparelhos. Existe uma série de medidas que vai se tomando até que você tenha um patamar”. 

Para o ministro da Saúde, é preciso estabelecer o período de isolamento social. “Quarentena sem prazo determinado para terminar, ela vira uma parede na frente das necessidades das pessoas, que precisam comer, abastecer suas casas, ir ao supermercado. Precisam ir e vir, porque isso faz parte da própria sobrevivência”.

O caminho neste momento é a união dos setores e dos estados. “É preciso pensar na economia. A maneira como nós vamos fazer isso será juntos. Nós vamos construir juntos”.

Fonte Canal Rural

Antigamente:O árduo trabalho das mulheres que lavavam roupas no Rio

Nem sempre nos damos conta de como o mundo evoluiu e como algumas tarefas antigamente eram árduas, há algumas décadas era um cenário habitual ver mulheres lavarem roupa nos diversos afluentes do rio, dando um colorido às margens com as peças num estendal de roupas a corar ao sol.
Haviam que aproveitar o tempo por quem tinha a lavoura diária pela frente para ajudar a cuidar.
A água não era encanada; as mulheres iam até os rio prodimo para lavar as roupas de sua família. Isto mostra -nos que as mulheres nunca estiveram desligadas do mundo do trabalho, muito pelo contrário, realizavam diversas atividades como os afazeres domésticos, cozinha, costura, atividades de campo, criação dos filhos e a lavação de roupas nos lavadouros naturais dos rios, lavar a roupa a mão, de joelhos num farrapo velho para não se molharem e não doer tanto os joelhos.
A modernidade chegou e com ela a facilidade! Hoje você tem máquinas de lavar e ferros de passar elétricos e a vapor ainda!
E hoje existe tantas mulheres que tem todo conforto em casa tem máquina que faz tudo só se dão o trabalho de estender a roupa e ainda reclamam da vida, sem pensar em suas gerações passadas todo trabalha que passaram para fazer seus afazeres em condições sofridas é para se pensar realmente.

O processo de lavagem :

A roupa geralmente era lavada no córrego ou em água da cisterna, nesse caso havia as tinas e bacias. Em ambos os casos havia uma tábua para bater, literalmente, as roupas facilitando a retirada da sujeira e diminuindo a necessidade de esfrega-las com as mãos.

*Depois de bater com a roupa na tábua dava-se uma boa esfregada e punha a roupa para quarar. Quaradouro era um espaço gramado ou com alguns matos mesmo onde se colocava a roupa com um pouco de sabão para ficar exposta no sol.

Por Sandra Rosa

Hospital faz campanha para doação de máscaras e álcool gel

Iniciativa é dirigida para empresas ou pessoas interessadas em ajudar no combate ao coronavírus

O Hospital Candelária está atento à evolução dos casos de coronavírus na região. Por enquanto, felizmente, ainda não existem casos suspeitos no município. Mas, de acordo com as previsões das autoridades de saúde, essa situação poderá mudar em seguida. Para se preparar de maneira adequada, a casa de saúde lançou uma campanha para as empresas ou pessoas que quiserem ajudar com a doação de máscaras e álcool gel. “Pode ser qualquer quantidade”, salienta o administrador do hospital, Aristides Feistler. E para os que quiserem contribuir com uma doação em dinheiro, seguem os dados para depósito: Banrisul, agência 0556, conta 0600036500, CNPJ 88163084000125.

folha de Candelária créditos

Chimarrão e tereré: boas práticas para tomar sem se contaminar com o Coronavírus (COVID-19)


Em março de 2020, o Brasil começou a sofrer com contágios de pessoas pelo novo coronavírus, o COVID-19. Desde o começo, as orientações para evitar o aumento dos caso começaram a circular, e você provavelmente já sabe o que precisa ser feito. Mas como estes cuidados afetam o consumo de chimarrão e tereré?
É verdade que através do compartilhamento de objetos os riscos de contaminação
aumentam, e por isso deve-se evitar tomar chimarrão ou tereré com outras pessoas, ainda que sem sintomas.
Apesar das recomendações médicas, você não precisa parar de consumir o chimarrão ou tereré. Afinal, a erva-mate também é uma planta poderosa e com diversos benefícios para a saúde.
O Mate in Box preparou três dicas para consumir o mate e não se contaminar com o
COVID-19:

  1. Utilize bombas e cuias individuais
    Para isso, é importante utilizar cuia e bomba individuais. É sempre bom estar numa boa
    roda de chimarrão, mas a dica aqui é utilizar várias cuias ao invés de uma. Cuias pequenas,
    como as cuias de inox ou similares são as mais recomendadas. Muitas famílias optam por
    ter várias cuias, uma para cada membro.
  2. Faça uma limpeza completa dos itens depois de tomar o chimarrão ou tereré
    Além disso, você deve realizar uma boa limpeza da cuia, bomba e qualquer item que for
    utilizado. Assim como a limpeza das mãos e da casa são indicadas, também é preciso
    manter os itens do chimarrão e tereré bem higienizados.
  3. Mantenha o isolamento social
    Por fim, uma boa prática que todos devemos realizar é a empatia, pensar no próximo e
    cuidar ao máximo de todos. Assim, com cuidados básicos e um pouco de esforço de cada
    um, será possível manter hábitos tão importantes como tomar chimarrão e tereré. E ainda,
    preservar a saúde de todos.
    Outras dicas contra o Coronavírus
    Alguns cuidados extras para prevenção contra o Corona são:
  • Lavar as mãos com água e sabão com frequência, por pelo menos 20 segundos;
  • Quando não houver acesso à água e sabão, utilizar álcool em gel com concentração
    de 70% de álcool;
  • Evitar contato social em restaurantes, bares, comércio e atividades não essenciais.
    Em alguns lugares, a circulação de pessoas já está mais reduzida a fim de prevenir
    ainda mais o surto no país;
    Buscar por auxílio médico quando apresentar sintomas graves como febre e falta de
    ar.
  • Não compartilhar itens de uso pessoal como toalhas e talheres.

Louis Vuitton fará gel desinfetante no lugar dos seus perfumes e o distribuirá gratuitamente

A famosa empresa francesa é mais uma gigante do mercado a oferecer uma grande contribuição para o combate desse difícil momento que o mundo atravessa.

A famosa empresa francesa é mais uma gigante do mercado a oferecer uma grande contribuição para o combate desse difícil momento que o mundo atravessa.

Devido à crise de saúde mundial que estamos passando, muitos dos produtos de higiene e limpeza estão ficando escassos em vários países, especificamente na França, razão pela qual o grupo responsável por grandes marcas como Dior, Givenchy e Louiss Vuitton, LVMH, destinará um parte do trabalho de suas fábricas para a produção exclusiva de gel antibacteriano no lugar de perfumes para uma grande ação de distribuição para os seus hospitais.

Louis Vuitton fará gel desinfetante no lugar dos seus perfumes e o distribuirá gratuitamente

A famosa empresa francesa é mais uma gigante do mercado a oferecer uma grande contribuição para o combate desse difícil momento que o mundo atravessa.

A famosa empresa francesa é mais uma gigante do mercado a oferecer uma grande contribuição para o combate desse difícil momento que o mundo atravessa.

Devido à crise de saúde mundial que estamos passando, muitos dos produtos de higiene e limpeza estão ficando escassos em vários países, especificamente na França, razão pela qual o grupo responsável por grandes marcas como Dior, Givenchy e Louiss Vuitton, LVMH, destinará um parte do trabalho de suas fábricas para a produção exclusiva de gel antibacteriano no lugar de perfumes para uma grande ação de distribuição para os seus hospitais.

Uma das primeiras e mais importantes recomendações das autoridades foi que as pessoas não corressem para os supermercados e estocassem produtos, mas nada disso adiantou. Essa situação lamentável levou o conglomerado de empresas francesas a usar três de suas instalações onde são produzidas fragrâncias e cosméticos, para fabricação exclusiva de gel antibacteriano necessário em algumas regiões do país.

Desde a última segunda-feira, a marca de luxo começou com a fabricação de gel desinfetante, além de também se responsabilizar pela pela distribuição gratuita em hospitais e autoridades de saúde francesas.

Fonte indicada: Nation

Coronávirus: A opinião mais sensata que já li: entenda a Severidade da pandemia no Brasil

Diante do caos que estamos vivendo muitas dúvidas, medo, incertezas que assolam nossa mente mas precisamos encarar a pandemia do novo coronavírus com serenidade, tranquilidade e responsabilidade. Parte da responsabilidade está em compreender a dimensão do problema que poderemos enfrentar e estabelecer estratégias para que o caos e o colapso enfrentado por outros países não ocorra no Brasil. A maioria dos pacientes com o novo coronavírus evolui muito bem, mas uma pequena parte que necessita de cuidados intensivos já pode ser suficiente para levar nosso sistema de saúde ao colapso. Pois, o problema não é nem se o medicamento faz ou não efeito e se vai matar ou não, o maior problema, neste momento é o contágio mesmo. Uma pessoa com gripe normal consegue infectar 1 ou 2 pessoas, já a Variola de 5 a 7… Mas o Covid-19 a média tem sido 15 (uma pessoa infectada com Covid-19 passa para 15 pessoas).
O vírus Convid-19 nem é tão mortal assim, mas o problema mesmo é o contágio que pode fazer entrar em colapso todo o sistema de saúde do Brasil, assim como aconteceu na Itália.
E se isto acontecer, não adiantará ter os remédios que curam porque o paciente não vai conseguir nem ter acesso ao tratamento…
Só uma vacina resolveria neste momento ou então que se evite o contágio.
Assim, devemos aproveitar a chance que temos para reduzir a disseminação do vírus por aqui. Sem alarmismos, com informação e responsabilidade, vamos passar por este enorme desafio! se mantendo isolados, pois nós mesmo podemos ser armas mortais, diante deste inimigo invisível.
Cuide-se e cuide do seu próximo: nada vale mais do que uma vida humana.

Comentário do Jornalista M L

A pandemia está se acelerando, disse o diretor-geral da OMS

A Organização Mundial da Saúde, OMS, afirmou nesta segunda-feira (23) que o coronavírus já se espalhou para quase todo os países do mundo e que o ritmo de transmissão está acelerando.

“A pandemia está se acelerando”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, informando que mais de 300 mil casos de coronavírus já foram registrados pela Organização em “quase todos os países do globo terrestre.”

Tedros lembrou que já faz quase 70 dias desde o primeiro caso reportado pela China, onde começou a transmissão da Covid-19, infecção causada pelo coronavírus.

“A solução desse problema requer coordenação política em nível mundial. Vou conversar com chefes de estado dos países do G20. Pedirei que trabalhem juntos para aumentar a produção, evitar proibições de exportação e garantir a equidade da distribuição com base na necessidade”, afirmou o diretor-geral da entidade.

Durante a coletiva desta segunda, a OMS alertou para o aumento de infecção entre os profissionais de saúde que estão na linha de frente, atendendo os infectados.

“Mesmo se fizermos tudo certo, se não priorizarmos proteger os profissionais de saúde, muitas pessoas morrerão porque o profissional que poderia ter salvo sua vida, estará doente”, alertou Tedros, reforçando que os profissionais necessitam de equipamentos de segurança adequados contra a infecção.

Tedros voltou a reforçar a necessidade dos países testarem “todos os casos suspeitos de Covid-19, isolando e cuidando de todos os casos confirmados e rastreando e colocando em quarentena todos os contatos próximos.”

Conheça a Marielle sua paixão pela gaita e sua inspiração Porca Véia

Em tempos de reclusão social por conta da pandemia para proteger-nos e quem amamos, bem como toda comunidade ficando em casa , nos da página tradição gaúcha entrevistamos alguns talentos da página que amam suas gaita amam a música a cultura gaucho assim como a jovem Marielle Santos da Silva, ela é um exemplo de amor à sua gaita sempre nos conta sobre sua inspiração o seu ídolo “Porca Veia” . CONFIRA AS LINDAS PALAVRAS DESTA SIMPÁTICA GAITEIRA DE CURITIBANOS EM SC.

Quando nasceu o amor por tocar gaita?
R: O amor por gaita surgiu desde criança, quando comecei a escutar, principalmente, as músicas do Porca Véia. Sempre que eu e a minha vó íamos para o sítio estava tocando as músicas no rádio do carro. Até que, um dia eu parei apenas pra ouvir e prestar atenção na gaita da música, pois era o que mais me chamava a atenção. Foi ai, que eu decidi que queira aprender a tocar esse instrumento, dizia: “quero fazer igual ao Porca Véia”. Dizia isso porque eu via que o jeito do Porca tocar é único, é sem explicação. Foi ai também que nasceu o amor e admiração por ele, que só depois de muitos anos fui descobrir que ele é meu primo.

Que idade você tinha quando nasceu esse dom?
R: Eu não lembro qual a idade desde quando falei que queria aprender a tocar esse instrumento, pois eu pedia para meus pais uma gaita mas eles não acreditavam que eu queria realmente tocar e então não me davam a gaita. Acreditavam que era algo passageiro e sem futuro. Quando eu tinha 13 anos, em uma viagem de férias para o Paraná eu ganhei uma gaita. Era a gaita do meu bisavô, pois ele tinha deixado para alguém que quisesse aprender ou que já tocasse. Vi aquela gaita como a minha oportunidade, ganhei a gaita e não consegui segurar a alegria e emoção. Vim a viagem inteira segurando aquela gaita nos braços e logo que cheguei na minha cidade eu fui atrás de um professor e de restaurar a gaita. Logo comecei as aulas com um professor de gaita da cidade. O professor, Elemer Finger, foi quem me ensinou as primeiras coisas e por isso sou muito grata a ele, por principalmente acreditar em mim, me ensinar e me incentiva Não sei se acredito em dom, pois quando você quer alguma coisa e vai em busca disso, sempre com dedicação e persistência, é possível realizar qualquer coisa. E foi assim comigo, se eu tivesse dado importância para as coisas ruins que eu ouvi, talvez eu não estivesse tocando gaita hoje.

Na foto Marielle com seu maior idolo (Porca Veia) sua maior inspiração.

Qual a tua maior inspiração na música?
R: A minha maior inspiração na música é o Porca Véia; e o meu namorado, Gustavo Fontana Granemann, que também é gaiteiro e está sempre do meu lado me ajudando, incentivando, cobrando os ensaios e também ensinando; e o Maicon Pacheco que é meu primo e amigo, que também sempre me apoia e ajuda.

Na foto a emoção de marielle conhecendo seu grande Ídolo da gaita ó Porca Veia

4) Porca Véia, o que ele significa pra você?
R: Porca Véia é mais que um ídolo, é meu primo, meu amigo e uma pessoa que está sempre do meu lado. Mesmo estando longe ele me incentiva, me cobra os ensaios de gaita, me dá dicas e me dá conselhos. Ele é um exemplo pra mim, um exemplo de gaiteiro e pessoa. Serei sempre grata por tudo que ele fez e faz por mim, assim como a sua esposa, Cacau, também. Por isso, eu amo e admiro muito esse casal, pessoas especiais que fazem a diferença na minha vida. Obrigada!

Como a tua família te incentiva nessa jornada como gaiteira?
R: Minha família é essencial na minha vida. Eles sempre estão presentes em tudo que faço, desde os ensaios em casa até as apresentações e gravações. Agradeço muito a minha mãe (Sonia Santos), meu pai (Wilson Francisco), minha irmã (Grazielle Santos), minha vó (Nair Moreira) e ao meu namorado (Gustavo Fontana) por sempre estarem do meu lado e por serem tão especiais. Sem eles, com certeza eu não seria quem sou hoje. Obrigada!

O que a tradição gaúcha significa pra você?
R: A tradição gaúcha significa tudo. Bah, difícil explicar. Mas eu amo e admiro essa tradição!

Você é apaixonada por tomar mate, tem algum segredo para preparar?
R: Eu tomo mate todos dias e não consigo ficar sem. Acredito que para fazer um bom mate, o que importa é a temperatura da água, já que a erva depende do gosto da pessoa. A água deve estar quente mas não fervendo e o mate deve ser feito com amor, assim como tudo que fazemos. Além disso, é bom ter uma boa companhia pra dividir o mate, mas as vezes também é bom matear solito hahaha.

Pensa em seguir carreira como gaiteira?
R: Eu acho que seguir carreira na música é difícil, mas penso sim em seguir carreira como gaiteira. Quem sabe fazer algumas apresentações com meu namorado, tocando a música que a gente gosta, a música gaúcha.

Na foto Marielle com Nair Moreira , sua avó um grande incentivadora em sua vida de gaiteira

Além de gostar de tocar gaita, nos conte sobre seus estudos?
R: Bom, eu estudo no Ensino Médio Integral em Tempo Integral (EMITI) na E.E.B Casimiro de Abreu. É puxado e cansativo mas compensa muito! Eu me dedico bastante aos estudos e levo isso muito a sério, sempre faço as tarefas e trabalhos em dia e busco adiantar o que posso para que não acumule.
O EMITI é um lugar onde além de estudar aprendemos a conviver melhor em sociedade e a sermos, futuramente, ótimos profissionais. A escola possibilita momentos diferentes e importantes, então é bastante interessante.

Qual a rotina de ensaio de gaita você tem?
R: Como estudo em período integral, é difícil estabelecer uma rotina. Tem dias que chego muito cansada e tem dias que tenho atividades e trabalhos pra fazer, então a prioridade é a escola. Mas, sempre que dá um tempinho eu treino gaita, intercalando exercícios e músicas. O tempo que tenho para treinar é depois da aula quando não tenho algo da escola para fazer e principalmente nos finais de semana.

Nos conte se sentiu quando pela primeira vez tocou do lado do seu ídolo?
R: Bah, foi um mix de emoções. Eu mal conseguia tocar, eu tremia e chorava muito. Não dava pra acreditar que eu estava realizando meu sonho. Mas me senti realizada e muito feliz. Foi naquele momento que vi o quanto foi importante eu ter seguido em frente e acreditado em mim mesmo desde o início, pois naquela hora passou um filme na minha cabeça. Um dia eu estava escutando as músicas dele e pedindo uma gaita e no outro eu estava ali do lado dele tocando pra ele.

Deixe uma mensagem para o seu ídolo, Porca Véia.
R: A mensagem que eu deixo pro Porca é uma mensagem de gratidão. Graças a ele e ao seu trabalho hoje eu toco gaita, que é o que eu mais amo na vida! Agradeço a ele por, mesmo antes de me conhecer, me incentivar e acreditar em mim, por me ajudar quando eu mais precisei e por realizar meus sonhos. Agradeço todos os dias a Deus pela vida do Porca, pela vida da pessoa que foi o responsável por eu ganhar vida. Isso porque, antes de tocar gaita eu estava existindo, hoje eu estou vivendo! Graças a ele eu descobri o meu amor por gaita.

Por Sandra Rosa

Quarentena: Hidronutriçao para fazer em casa que ajuda a diminuir o ressecamento dos fios

Período de quarentena para evitarmos a disseminação do Covid-19, a recomendação é ficar em casa. Vamos dar uma dica para você cuidar de seu cabelo nesse período de quarentena. Além disso, cuidar de si neste momento pode ser até terapêutico. Por isso, vai esta dica para você manter em dia sua rotina de beleza sem sair de casa.

Então o que acha de uma Hidronutriçao p fazer em casa? Esta ajuda a diminuir o frizz e o ressecamento dos fios.

Adicione num pote:
1 colher de soro fisiológico:
2 colheres de máscara de sua preferência;
1 colher de óleo vegetal.

Modo de aplicar:
Após os cabelos ja lavados com shampoo, tire o excesso de agua. Misture bem os ingredientes e aplique mecha por mecha enluvando p penetrar bem no fio.
Deixe agir por 30 minutos, enxágue e condicione. Finalize como de costume.

Gostou? Marque as amigas p elas fazerem tb. 🤳☝️.

Por Cinthya Hugen Hair

https://instagram.com/cinthyahugenhair?igshid=1cckbkdagnnxb

Coronavírus: bandidos furtam 5 mil máscaras cirúrgicas em Hospital

Não bastassem a dificuldade para se encontrar e o aumento enorme nos preços, 5 mil máscaras cirúrgicas foram furtadas do Hospital Público Regional de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Mesmo álcool e sabão estão sendo levados com frequência, mas a prefeitura da cidade alegou que o fornecimento desses dois itens está normal. O furto aconteceu na terça-feira (17).

A direção do hospital, mesmo com o furto, disse que “as máscaras e outros Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) disponíveis no almoxarifado são suficientes para que os servidores atendam, com segurança, às demandas relativas ao coronavírus que chegarem à unidade”.

A Prefeitura de Betim informou que o crime está sendo investigado, que forneceu as imagens de câmeras de segurança do hospital para a investigação e que “estão sendo tomadas as devidas medidas junto aos órgãos de segurança do município”, inclusive com relação ao sumiço de álcool e sabão das dependências do Hospital Regional.

E fez um apelo: “que todos mantenhamos a calma e o bom senso, para que, juntos, possamos continuar somando esforços e sejamos vitoriosos frente a essa pandemia”.

Fonte G1