Músicatradição Gaúcha

Conheça a História do Tio Bilia, contada pela Gaiteira Duda

Sou a Duda Gaiteira de Lages SC e vim contar um pouco da história do saudoso Tio Bilia bom… no dia 05 de agosto de 1906, em serra de cima, hoje município de Entre-Ijuis / RS nasceu Antônio Soares de Oliveira – O Tio Bilia. Desde menino teve vocação pela música.Autodidata, consagrou-se como um dos melhores compositores e interpretes da música regionalista criola. Sua 8 Baixos traduzia o estilo guapo da região missioneira, e teve como principais incentivadores o Major Maximiano Bogo e Os Irmãos Bertussi.

“Quando fomos vê-lo tocar, notamos que era um gênio musical, recorda um dos descobridores de Tio Bilia – Adelar Bertussi “.

Apesar de ter se tornado famoso só na década de 1950, Tio Bilia já animava os bailes do interior há muito tempo. Tio Bilia começou a tocar aos 10 anos, no interior de Entre-Ijuís, onde aprendeu a dedilhar o instrumento sozinho, ouvindo outros gaiteiros. Aos 12 anos comprou sua gaita primeira gaita de botão, e, influenciado por Nego Marcolino, seguiu no aprendizado do instrumento. Alegrou seu primeiro baile aos 14 anos de idade tocando suas músicas e ganhou 5 mil réis, recorda a viúva, Donatilla, 93 anos. Para ela, o músico compôs 18 de outubro, data do aniversário da mulher Pouco mais tarde, no período compreendido entre os anos de 1924 e 1927, integrou a Brigada Provisória, com atuação na Guarnição de São Miguel das Missões, tendo participação em diversos combates contra as forças revolucionárias de Luiz Carlos Prestes. Mas foi bem mais tarde, na década de 60, com o apoio dos Irmãos Bertussi, que Tio Bilia veio a gravar o seu primeiro LP, produzido em parceria com Virgílio Pinheiro, intitulado Baile Gaúcho. Outros cinco discos com o mesmo título, somados a outros quatro com o título Encontro de Gerações, em parceria com o filho Arnóbio; e outros três, com o filho e netos. O cotidiano servia de inspiração a Tio Bilia.

A música O CASÓRIO DO BATISTA surgiu de um casamento de duas irmãs com dois irmãos. Já O SURUNGO DO QUINTINO, da briga em um baile. Gravou seu primeiro LP, o Baile Gaúcho, com Virgilio Pinheiro e seu conjunto em 1968. Foi um marco de autenticidade musical do legitimo baile tradicional gaucho, com melodias criolas conservadas pelos próprios executantes, caracteristica esta que preservou em toda sua obra.

” … Quando a gaita de oito baixos; se abre com maestria; Enaltece em cada nota;
O MISSIONEIRO TIO BILIA … “

Discografia de Tio Bilia
Até os 85 anos, quando faleceu em 19 de agosto de 1991, Tio Bilia gravou 111 músicas. Até hoje elas servem de referência aos que ensaiam os primeiros sons na gaita de botão. O vanerão Missioneiro é o preferido dos iniciantes.

Memorial em Homenagem ao Tio Bilia

No Bairro Pippi em Santo Angêlo foi erguida uma estatua em sua homenagem.

Viúva Donatilla, 93 anos, visita estátua em homenagem ao músico missioneiro.

Comemorações do Centenário de Tio Bilia
As Comemorações do Centenário Tio Bilia – o Rei da 8 Baixos -, foram iniciadas no dia 3 de agosto de 2006, às 19h30min, com a Sessão Extraordinária da Câmara Municipal de Vereadores da cidade missioneira de Santo Ângelo-RS, realizada na sede social do CTG Tio Bilia, em homenagem ao grande artista gaúcho sul-rio-grandense. No dia 4, às 18h, teve início a exposição Tio Bilia Missioneiro – o Rei da 8 Baixos, no Centro Municipal de Cultura, permanecendo aberta até o dia 11, sendo transferida, posteriormente, de 14 até o dia 18, para o saguão da Prefeitura Municipal. Em 5 de agosto, data do nascimento do Rei da 8 Baixos, às 23h, no CTG Tio Bilia, houve o descerramento da placa em homenagem ao nascimento do Mestre Gaiteiro. Logo após deu-se início ao baile com o Grupo Beira de Estrada e a apresentação de Adelar Bertussi. No prosseguimento das comemorações do Centenário Tio Bilia, no dia 19, 14h, ocorreu uma grande cavalgada, com saída do Monumento Largo do Tio Bilia, situado na Av. Sagrada Família, rumo ao Cemitério do Rincão dos Mendes, com a realização de um ato ecumênico, às 17h, em visita ao túmulo do músico. O Mestre Tio Bilia, no dia 19 de agosto de 1991, deixou a vida material aos 85 anos de idade. Mas esse Grande Gaiteiro do Rio Grande certamente que segue fazendo um costado espiritual para muitos gaiteiros gaúchos, influenciando as novas gerações e contribuindo, assim, para a continuidade dessa magnífica arte de tocar a gaita-ponto gaúcha de seu Pago Sulino! Obrigado, Tio Bilia! É o Rio Grande do Sul e o Povo Gaúcho Brasileiro quem te agradece!

Por Maria Eduarda dos Santos Oliboni

Etiquetas
Mostrar mais

Tradição Gaúcha

o melhor da cultura Gaúcha do Rio Grande e também notícias do Brasil e do mundo sempre trazendo o melhor da notícia..

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: