Acontecimentos

Iluminação perto da Arena da Baixada é herança maldita da Copa com cabos fáceis de se furtar

Cabos instalados de forma rasa ficam fáceis de serem furtados no entorno da Arena da Baixada. Foto: Alex Silveira / Tribuna do Paraná

Parte da fiação elétrica da iluminação pública do entorno da Arena da Baixada, no bairro Água Verde, que faz parte do legado das obras de Curitiba para a Copa do Mundo de 2014, foi furtada e ruas estão no escuro há cerca de 30 dias. Os fios são dos postinhos de acrílico instalados naquela época.

Comerciantes próximos da esquina entre as ruas Alferes Ângelo Sampaio e Brasílio Itiberê reclamam da falta de conserto e do desperdício de dinheiro público com uma obra mal feita. Para furtar os cabos, os moradores explicam que foram erguidas e tiradas do lugar as pedras da calçada. Os comerciantes dizem que foi tarefa fácil para os criminosos, já que o condutor dos cabos foi instalado de forma superficial, logo abaixo da primeira pedra, com pouca profundidade. E um agravante: a conta dos consertos constantes da calçada fica com o dono do imóvel, já que a preservação do passeio não é de responsabilidade do município.

Pelo menos duas quadras estão no escuro, o que acarreta em falta de segurança à noite e preocupação de que novos furtos ocorram após a reposição dos cabos. Preocupação que aumenta na pandemia de coronavírus, com o fluxo menor de pessoas nas ruas por causa do isolamento social.

O empresário Robinho Figueiredo, 58 anos, dono do bar Colarinho, que está há 15 anos na esquina da Ângelo Sampaio com a Brasílio Itiberê, viu toda a movimentação das obras da Copa no entorno da Arena. Ele disse que primeiro os operários fixaram os postes, para depois começaram a cavar os buracos para colocar os condutores da fiação.

Cabos furtados constantemente deixam ruas escuras no entorno da Arena da Baixada, no bairro Água Verde. Foto: Lineu Filho / Tribuna do Parnará

“Quebraram a calçada só depois que os postes já estavam de pé. Poderia ter tido mais planejamento”, aponta Figueiredo. O empresário ainda diz que os condutores ficaram instalados muito rasos, com apenas uma pedra por cima. “Isso facilita o furto. Se consertar aqui, sem que fiquem mais fundo, vão arrancar de novo”, reclama.

A iluminação na região, segundo o dono do Colarinho, ajuda muito na segurança pública. “Só os postes normais da Copel não conseguem dar conta porque há várias árvores aqui. De noite, elas fazem sombra na iluminação. Fica escuro. Por causa disso, costumo acompanhar meus clientes até os carros estacionados, para evitar qualquer tipo de problema”, reclama.

Havia expectativa de que essa iluminação ficasse como legado da Copa. Mas, passados seis anos, não é o que aconteceu. Na época, segundo uma publicação da própria prefeitura de Curitiba em 16 de dezembro de 2013, o investimento no entorno da Arena era de R$ 20 milhões. Foram previstos R$ 12,2 milhões para obras de revitalização e infraestrutura viária no bairro da Água Verde. Várias ruas do entorno do estádio do Athletico receberam melhorias, como novas calçadas e asfalto, iluminação e sinalização e acessibilidade. Também a Praça Afonso Botelho, a Praça do Athletico, em frente à arena, passou por uma ampla reforma, na qual estavam previstos R$ 6,5 milhões em investimentos.

Porém, segundo o comerciante José Grilo, 67 anos, lojista da Ângelo Sampaio, não há reposição quando um poste da Copa quebra. “Tem um quebrado bem na esquina com a Brasílio Itiberê. As equipes apenas cortaram o toco e arrumaram a calçada. Não acho que esses postes serão repostos algum dia. É um descaso. O certo era refazer esse projeto e instalar uma iluminação que não desse para furtar. Não acho vai acontecer isso. É um desperdício de dinheiro público”, comenta.

Cabos instalados de forma rasa ficam fáceis de serem furtados no entorno da Arena da Baixada. Foto: Alex Silveira / Tribuna do Paraná

Silvio Domanski, 48 anos, dono de uma barbearia e salão de cabeleireiros que funciona há 21 anos na Ângelo Sampaio, já fez vários protocolos na prefeitura reclamando por causa da segurança na área. “Fica registrado e não soluciona”, afirma Domanski. “A gente se preocupa com os clientes. Aqui em frente, por exemplo, colocamos grades para evitar que pessoas estranhas fiquem rondando durante a noite. Antes, era tudo aberto. Os órgãos públicos devem tomar providência, mas não tomam”, reclama o empresário. 

E aí, prefeitura?

Procurada, a prefeitura de Curitiba não deu detalhes sobre o conserto, se os condutores ficarão mais no fundo da calçada. Mas informou que o Departamento de Iluminação da Secretaria Municipal de Obras Públicas está desde a semana passada trabalhando para restabelecer os sistemas de iluminação no entorno da Arena da Baixada.

“O furto dos cabos de iluminação que ocasionou o problema foi formalizado com registro de boletim de ocorrência e as autoridades policiais, bem como a Guarda Municipal, se prontificaram a reforçar a segurança na região para evitar novos furtos”, informa a prefeitura em nota enviada à Tribuna.

A prefeitura também destacou que a população tem um papel importante para coibir os furtos da fiação pública. A administração pede que sejam feitas denúncias na Guarda Municipal, por meio da Central 153, para que os agentes possam agir para identificar os autores dos crimes.

Fonte Tribuna do Paraná

Mostrar mais

Tradição Gaúcha

o melhor da cultura Gaúcha do Rio Grande e também notícias do Brasil e do mundo sempre trazendo o melhor da notícia..

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: