Polícia

Mãe confessa crime e afirma que bebê Ísis Helena, está morta

Presa desde sexta (17), mulher teria mudado versão dos fatos, admitindo ter jogado corpo da criança de 1 ano e 10 meses no rio após ela morrer engasgada com leite.

A Polícia Civil informou nessa segunda-feira (20) que a mãe da bebê Ísis Helena confessou o crime contra a filha desaparecida desde o dia 2 de março em Itapira (SP) e afirmou que a criança está morta. De acordo com a polícia, Jennifer Natalia Pedro disse ter jogado o corpo da criança de 1 ano e 10 meses no rio porque se desesperou ao notar que a menina tinha morrido engasgada com leite.

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) informou que ainda realiza diligências para localizar o corpo e obter mais detalhes sobre o ocorrido. Ísis nasceu prematura, com microcefalia e fazia uso de remédios controlados. Pelo relato da mãe aos investigadores, ela teria colocado o corpo da vítima em uma mochila antes de jogar na água.

O advogado de defesa João Benedito Camilo Pellisser afirmou ter tido acesso ao novo depoimento da cliente e ameaçou abandonar o caso se de fato ela formalizar a confissão.

Jennifer está presa desde a última sexta-feira (17), quando foi decretada a prisão temporária dela por cinco dias para que dar andamento à investigação. Agora a polícia afirma que pretende solicitar prorrogação da prisão.

Versão antiga x versão atual

A princípio, a versão da mãe era a de que a menina havia desaparecido enquanto ela saiu para sacar dinheiro com a avó da criança. No relato da mãe à época, a criança teria ficado na casa com o avô, que a família desconfia sofrer de Alzheimer. A mãe afirmava, então, que, quando voltou, a porta da casa estava aberta e a bebê não estava mais no local.

Segundo a polícia, após ser presa e notar que a polícia já havia identificado inconsistência nos depoimentos dela, Jennifer mudou a versão dos fatos. Ela afirma no novo depoimento que a filha estava doente na noite anterior, com febre, e ela deu mamadeira e colocou a criança para dormir de barriga para cima. No dia seguinte, às 6h da manhã, a mãe teria percebido que a criança se asfixiou e morreu. Segundo a polícia, a mãe afirmou, então, que ficou com medo e decidiu jogar o corpo no rio.

Veja abaixo nota na íntegra do estado sobre a atualização do caso:

“O caso segue em investigação pela Delegacia Investigações Gerais (DIG) de Mogi Guaçu. Durante as investigações, a mãe da vítima deu uma nova versão sobre o ocorrido, confessando o crime. Ela foi detida na manhã da última sexta-feira (17), em cumprimento de um mandado de prisão temporária. Diligências estão em andamento para localização do corpo da criança e esclarecimento de mais detalhes.”

Fonte G1

Mostrar mais

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: