Música

Conheça a Marielle sua paixão pela gaita e sua inspiração Porca Véia

Em tempos de reclusão social por conta da pandemia para proteger-nos e quem amamos, bem como toda comunidade ficando em casa , nos da página tradição gaúcha entrevistamos alguns talentos da página que amam suas gaita amam a música a cultura gaucho assim como a jovem Marielle Santos da Silva, ela é um exemplo de amor à sua gaita sempre nos conta sobre sua inspiração o seu ídolo “Porca Veia” . CONFIRA AS LINDAS PALAVRAS DESTA SIMPÁTICA GAITEIRA DE CURITIBANOS EM SC.

Quando nasceu o amor por tocar gaita?
R: O amor por gaita surgiu desde criança, quando comecei a escutar, principalmente, as músicas do Porca Véia. Sempre que eu e a minha vó íamos para o sítio estava tocando as músicas no rádio do carro. Até que, um dia eu parei apenas pra ouvir e prestar atenção na gaita da música, pois era o que mais me chamava a atenção. Foi ai, que eu decidi que queira aprender a tocar esse instrumento, dizia: “quero fazer igual ao Porca Véia”. Dizia isso porque eu via que o jeito do Porca tocar é único, é sem explicação. Foi ai também que nasceu o amor e admiração por ele, que só depois de muitos anos fui descobrir que ele é meu primo.

Que idade você tinha quando nasceu esse dom?
R: Eu não lembro qual a idade desde quando falei que queria aprender a tocar esse instrumento, pois eu pedia para meus pais uma gaita mas eles não acreditavam que eu queria realmente tocar e então não me davam a gaita. Acreditavam que era algo passageiro e sem futuro. Quando eu tinha 13 anos, em uma viagem de férias para o Paraná eu ganhei uma gaita. Era a gaita do meu bisavô, pois ele tinha deixado para alguém que quisesse aprender ou que já tocasse. Vi aquela gaita como a minha oportunidade, ganhei a gaita e não consegui segurar a alegria e emoção. Vim a viagem inteira segurando aquela gaita nos braços e logo que cheguei na minha cidade eu fui atrás de um professor e de restaurar a gaita. Logo comecei as aulas com um professor de gaita da cidade. O professor, Elemer Finger, foi quem me ensinou as primeiras coisas e por isso sou muito grata a ele, por principalmente acreditar em mim, me ensinar e me incentiva Não sei se acredito em dom, pois quando você quer alguma coisa e vai em busca disso, sempre com dedicação e persistência, é possível realizar qualquer coisa. E foi assim comigo, se eu tivesse dado importância para as coisas ruins que eu ouvi, talvez eu não estivesse tocando gaita hoje.

Na foto Marielle com seu maior idolo (Porca Veia) sua maior inspiração.

Qual a tua maior inspiração na música?
R: A minha maior inspiração na música é o Porca Véia; e o meu namorado, Gustavo Fontana Granemann, que também é gaiteiro e está sempre do meu lado me ajudando, incentivando, cobrando os ensaios e também ensinando; e o Maicon Pacheco que é meu primo e amigo, que também sempre me apoia e ajuda.

Na foto a emoção de marielle conhecendo seu grande Ídolo da gaita ó Porca Veia

4) Porca Véia, o que ele significa pra você?
R: Porca Véia é mais que um ídolo, é meu primo, meu amigo e uma pessoa que está sempre do meu lado. Mesmo estando longe ele me incentiva, me cobra os ensaios de gaita, me dá dicas e me dá conselhos. Ele é um exemplo pra mim, um exemplo de gaiteiro e pessoa. Serei sempre grata por tudo que ele fez e faz por mim, assim como a sua esposa, Cacau, também. Por isso, eu amo e admiro muito esse casal, pessoas especiais que fazem a diferença na minha vida. Obrigada!

Como a tua família te incentiva nessa jornada como gaiteira?
R: Minha família é essencial na minha vida. Eles sempre estão presentes em tudo que faço, desde os ensaios em casa até as apresentações e gravações. Agradeço muito a minha mãe (Sonia Santos), meu pai (Wilson Francisco), minha irmã (Grazielle Santos), minha vó (Nair Moreira) e ao meu namorado (Gustavo Fontana) por sempre estarem do meu lado e por serem tão especiais. Sem eles, com certeza eu não seria quem sou hoje. Obrigada!

O que a tradição gaúcha significa pra você?
R: A tradição gaúcha significa tudo. Bah, difícil explicar. Mas eu amo e admiro essa tradição!

Você é apaixonada por tomar mate, tem algum segredo para preparar?
R: Eu tomo mate todos dias e não consigo ficar sem. Acredito que para fazer um bom mate, o que importa é a temperatura da água, já que a erva depende do gosto da pessoa. A água deve estar quente mas não fervendo e o mate deve ser feito com amor, assim como tudo que fazemos. Além disso, é bom ter uma boa companhia pra dividir o mate, mas as vezes também é bom matear solito hahaha.

Pensa em seguir carreira como gaiteira?
R: Eu acho que seguir carreira na música é difícil, mas penso sim em seguir carreira como gaiteira. Quem sabe fazer algumas apresentações com meu namorado, tocando a música que a gente gosta, a música gaúcha.

Na foto Marielle com Nair Moreira , sua avó um grande incentivadora em sua vida de gaiteira

Além de gostar de tocar gaita, nos conte sobre seus estudos?
R: Bom, eu estudo no Ensino Médio Integral em Tempo Integral (EMITI) na E.E.B Casimiro de Abreu. É puxado e cansativo mas compensa muito! Eu me dedico bastante aos estudos e levo isso muito a sério, sempre faço as tarefas e trabalhos em dia e busco adiantar o que posso para que não acumule.
O EMITI é um lugar onde além de estudar aprendemos a conviver melhor em sociedade e a sermos, futuramente, ótimos profissionais. A escola possibilita momentos diferentes e importantes, então é bastante interessante.

Qual a rotina de ensaio de gaita você tem?
R: Como estudo em período integral, é difícil estabelecer uma rotina. Tem dias que chego muito cansada e tem dias que tenho atividades e trabalhos pra fazer, então a prioridade é a escola. Mas, sempre que dá um tempinho eu treino gaita, intercalando exercícios e músicas. O tempo que tenho para treinar é depois da aula quando não tenho algo da escola para fazer e principalmente nos finais de semana.

Nos conte se sentiu quando pela primeira vez tocou do lado do seu ídolo?
R: Bah, foi um mix de emoções. Eu mal conseguia tocar, eu tremia e chorava muito. Não dava pra acreditar que eu estava realizando meu sonho. Mas me senti realizada e muito feliz. Foi naquele momento que vi o quanto foi importante eu ter seguido em frente e acreditado em mim mesmo desde o início, pois naquela hora passou um filme na minha cabeça. Um dia eu estava escutando as músicas dele e pedindo uma gaita e no outro eu estava ali do lado dele tocando pra ele.

Deixe uma mensagem para o seu ídolo, Porca Véia.
R: A mensagem que eu deixo pro Porca é uma mensagem de gratidão. Graças a ele e ao seu trabalho hoje eu toco gaita, que é o que eu mais amo na vida! Agradeço a ele por, mesmo antes de me conhecer, me incentivar e acreditar em mim, por me ajudar quando eu mais precisei e por realizar meus sonhos. Agradeço todos os dias a Deus pela vida do Porca, pela vida da pessoa que foi o responsável por eu ganhar vida. Isso porque, antes de tocar gaita eu estava existindo, hoje eu estou vivendo! Graças a ele eu descobri o meu amor por gaita.

Por Sandra Rosa

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: